Notícias
by Marcia Oliveira on 23 de julho de 2020

Pela terceira vez Bolsonaro testa positivo para Covid-19

O exame Bolsonaro ainda é positivo no Covid-19. Isso é confirmado pelo último cotonete a que o presidente do Brasil foi submetido na terça-feira, 21 de julho. O chefe de estado disse que esperava o teste negativo, a fim de voltar ao “normal”. Bolsonaro, que anunciou que havia contraído o coronavírus em 7 de julho, está isolado há 2 semanas na residência oficial do presidente. A viagem que ele planejava fazer nesta sexta-feira no Piauí, um dos estados do nordeste do Brasil, também falhou. Em um vídeo enviado ao Facebook, o presidente Brasileiro também havia tomado sua primeira dose de hidroxicloroquina ao vivo, alegando que ele já estava se sentindo melhor.

Apesar da crise política do Brasil, popularidade de Bolsonaro parece ter crescido

O vírus Sars-Cov-2 já infectou quase 15 milhões de pessoas em todo o mundo. Já as condições de Bolsonaro são definidas como boas, mas o presidente espera que o resultado negativo do exame retome a atividade comum e comece a viajar novamente no país. Vale lembrar que em diversos episódios o presidente foi flagrado se comunicando com multidões, abraçando, apertando mãos e fazendo pouco caso da atual pandemia. Há dois dias, o novo Ministro da Educação, Milton Ribeiro, e o da Cidadania, Onyx Lorenzoni, também anunciaram que haviam sido infectados com o novo coronavírus. Em março, Bolsonaro realizou três testes, todos negativos, depois de voltar de uma viagem à Flórida, na qual 23 funcionários deram positivo. (Fonte: Ansa)

Apesar do vigente caos político do país, o índice de aprovação do governo de Jair Bolsonaro no Brasil sobe novamente. De acordo com uma pesquisa encomendada pela agência financeira XP, 30% dos brasileiros entrevistados entre 13 e 15 de julho consideraram sua gestão de pandemia “excelente ou boa”. Em maio, a taxa foi de 25% e em junho, 28%. A pesquisa também mostra que 45% continuam a considerar a política adotada pelo executivo para lidar com a crise da saúde “ruim ou ruim”, que no país sul-americano até agora causou mais de 80.000 mortes.

O índice foi de 50% em maio e 48% em junho. As medidas tomadas pelo Presidente da República foram julgadas “ruins ou ruins” por 52% dos entrevistados, contra 55% registrados em junho. Aqueles que os consideram “excelentes ou bons” passaram de 23% em junho para 25% em julho. O presidente também parece estar cada vez mais ativo em seu “Bolsonaro twitter”

By Marcia Oliveira

More content by Marcia Oliveira

Comments (0 comment(s))