Criptomoeda Monero: Descubra o que é e como funciona

A criptomoeda Monero foi desenvolvida a princípio para melhores falhas da Bitcoin. Durante o período de sua criação não existia uma transparência como a atual, por parte da equipe da Bitcoin. Assim que o Monero foi lançado, muitos problemas ocorreram, alguns destes foram em função de seu projeto não abranger carteiras (wallets) para Windows e MacOs, bem como um software de mineração repleto de defeitos. No entanto, a moeda foi pouco a pouco se superando, perdendo a fama de scam, que marcara seu passado (como veremos mais adiante). O fato é que neste presente ano (2020), a Monero ganhou uma valorização de mais de trinta por cento em seu valor de mercado.

E para compreendermos melhor a razão, a seguir abordaremos o que é Monero, bem como sua origem, história e principais características técnicas.

Origem da Monero

É comum escutarmos que a Monero foi projetada para ser uma espécie de cópia da Bitcoin. Ainda que a moeda tenha evoluído, esta afirmação não deixa de ser uma verdade. A Monero foi criada com base na “mãe” de todas as criptomoedas, a Bitcoin. Um fator que prova isto é o software de mineração da Monero, que no início foi mesmo utilizado pela Bitcoin, no entanto com seu potencial bastante reduzido, o que gerou diversas falhas. Conforme o software foi apresentando erros, mais fama de scam o cripto ativo foi ganhando, o que dificultou muito sua popularização no mercado, desde seu lançamento, no ano de 2014. O “Monero história” já começou tendo que enfrentar diversas controvérsias. Uma outra curiosidade, é que ao contrário do que aconteceu com muitas criptomoedas, seu criador prefiro manter o anonimato, quando decidiu criá-la e lançá-la.

Primeira fase da moeda: o seu lançamento no mercado

Como um nickname de “Thankful_for_today”, o desenvolvedor da Monero começou a querer realizar mudanças no código do cripto ativo, fato que não alegrou a comunidade, já que boa parte de suas ações pareciam ser autoritárias. Os Monero nasceram em 2014 com o nome BitMonero e usam o protocolo CryptoNight. A partir daí, um fork do próprio blockchain foi criado. Não existe nenhuma dúvida de que uma das principais causas que geraram a fama negativa da criptomoeda tenha sido seu primeiro software, que ficou ativo nos seus primeiros meses de lançamento e que apresentava uma série de falhas. Tais defeitos promoveram uma popularidade bastante negativa para o ativo financeiro, o que gerou muita desconfiança por parte do mercado desde o gênesis desta moeda digital.

Segunda fase na moeda: Conquistando credibilidade no mercado

Passando a primeira fase de origem da Monero, fase que contribuiu para a definição de Monero, porém de forma negativa, vem a segunda fase de sua trajetória, que também é apresente fase. Assim que Fluffypony, o desenvolvedor de maior destaque do ativo digital, bem como o seu propagador de maior relevância assumiu um papel mais ativo, muitas mudanças assertivas começaram acontecer, o que aos poucos trazendo a confiança do mercado para a Monero. Para termos uma idéia a moeda atualmente é uma das melhores opções no que diz respeito à privacidade, já que consegue promover transações anônimas, inclusive em um nível superior ao da Bitcoin, pioneira no segmento das criptomoedas.

Definição da criptomoeda Monero

O Monero crypto é uma das criptomoedas mais famosas do mercado. A criptomoeda é uma fonte aberta com sistema de prova de trabalho, uma metodologia que visa impedir ataques e abusos, a fim de proteger os clientes de criptomoeda. Embora não possa se orgulhar dos números do Bitcoin, o interesse em Monero registrou um aumento constante nos últimos meses, especialmente em face dos excelentes desempenhos alcançados pela listagem. Isso significa que a pessoa que solicita o serviço precisará passar por uma série de etapas que podem ser controladas pelo serviço. Monero coin é uma das 10 criptomoedas com maior capitalização do mundo.

Criptomoeda Monero: Descubra o que é e como funciona

Este sistema de prova de trabalho é o mesmo que BitCoin. o número de criptomoedas listadas continua em ascensão e há cada vez mais opções, em um mercado que hoje pode contar com milhares e milhares de criptomoedas diferentes. A prova de trabalho do CryptoNight também permite a conversão da moeda em qualquer PC normal, o que ressalta sua capacidade de gerenciamento. Seguro, privado e não rastreável: é assim que Monero se define. Ao contrário do BitCoin, o Monero é completamente descentralizado e não está sujeito a nenhum monopólio. Como todas as moedas virtuais em circulação, a Monero criptomoeda também permite que você se torne seu próprio banco e também controle e seja responsável por seus fundos de maneira totalmente autônoma.

Capitalização de mercado

Atualmente, possui uma capitalização de cerca de 2 bilhões de euros, número que subiu em pouco tempo e que atraiu o interesse do mercado global. Não sendo uma das moedas virtuais mais famosas do mundo, os métodos de compra da Monero não são conhecidos por todos os operadores do mercado. Antes de tudo, vale lembrar que realizar transações no Monero é uma atividade que exige o pagamento de uma determinada taxa. 2016 foi um ano muito importante para Monero, que viu em 2017 o ano de seu verdadeiro sucesso. A peculiaridade dessa criptomoeda está na privacidade e escalabilidade de seu valor.

O Monero teve um aumento significativo de valor durante o ano de 2016 e, em seguida, iniciou uma subida extremamente alta em 2017. Agora já no início de 2020, o “preço Monero” apresentou grande valorização, em torno de trinta por cento, fato que só ajudou a elevar a fama positiva do cripto ativo. Apenas pense que é uma das poucas criptomoedas que concede a possibilidade de uma transação anônima. É uma criptomoeda que, como todas as outras criptomoedas, é extremamente volátil e ancorada no preço do Bitcoin.

Monero: Como é seu funcionamento

Entre as características Monero, a segurança da privacidade é certamente a mais destacável. A operação é baseada no algoritmo de assinatura de anel: um mecanismo que permite criptografar e ao mesmo tempo ocultar endereços e ocultar a quantidade de uma transação de terceiros. O Monero usa criptografia inquebrável para garantir que ninguém saiba quanto dinheiro você tem ou como gasta, mesmo que o endereço da carteira seja conhecido. Chamados de assinatura de toque, eles usam endereços aleatórios usados ​​em formato único e não associados a nenhuma pessoa real. A fonte em uma transação não pode ser rastreada, enquanto o valor é confidencial.

Obviamente, no caso de verificações fiscais, você pode revelar a transação através de uma chave de visualização. A criptomoeda funciona mais ou menos como seus rivais no mercado: permite transferir dinheiro com bastante rapidez e baixo custo em todo o mundo.  Não é atoa que a “Monero capitalização” não para de crescer. Quanto à escalabilidade, o Monero possui um valor alto, devido ao fato de não ter limite no tamanho dos blocos. Não está muito exposto a riscos de fraude e não está sujeito a controles de capital. Se para BitCoin falamos de um tamanho máximo de 1 Mb, para Monero não é assim. Depois de entender como comprar o Monero na frente do usuário, inúmeras possibilidades se abrem, pois, assim como o dinheiro, ele pode ser usado para comprar bens e serviços.

As principais vantagens de utilizar a criptomoeda Monero

A seguir separamos as principais característica positivas em relação ao perfil técnico da Monero:

  1. Descentralização: com o Monero, não é necessário contar com mais ninguém na rede. os endereços e valores de envio e recebimento são ofuscados por padrão. A criptomoeda funciona através do algoritmo Prova de Trabalho, que permite executar operações de mineração em qualquer computador, o que, por sua vez, dificulta o nascimento de pequenos e poderosos grupos de mineradores. As transações no blockchain Monero coin não podem ser conectadas a um usuário específico ou a uma identidade presente no mundo real.Cada nó da cadeia está vinculado ao outro via I2P (software livre e de código aberto voltado ao anonimato da rede), portanto reduzir o risco de revelar detalhes relacionados a transações específicas.
  2. Segurança: a segurança com o Monero está no mais alto nível. É um dos requisitos fundamentais das transações que não são expostas tendencialmente ao risco de ataques ou erros, pois usam a tecnologia mais recente e mais resistente do mercado. As transações são confirmadas por um consentimento distribuído e, portanto, gravadas de maneira imutável na blockchain. Terceiros não precisam ganhar confiança para manter sua criptomoeda Monero seguro.
  3. Privacidade: A privacidade é de extrema importância para a comunidade e para os desenvolvedores. O Monero usa assinaturas de “anel” e operações confidenciais anônimas para ofuscar os valores, origens e destinos de todas as transações. Ao contrário do que acontece com o Bitcoin ou o Ethereum, as transações são completamente privadas, tanto na fonte quanto no conteúdo. O Monero obtém todos os benefícios da criptografia descentralizada, sem nenhuma concessão de privacidade padrão.